Como organizar ações de vacinação extramuros

O objetivo desta ação é alcançar pessoas que normalmente não tem o hábito de buscar farmácias para a realização da vacinação e assim é possível ampliar a área de atendimento da unidade

O público alvo é variado e pode depender da intenção da ação e o calendário de vacinação do Ministério da Saúde. O atendimento pode ocorrer em diversos locais diferentes como em empresas, salões, clínicas, escolas, mercados, etc.

Vacinação extramuros é uma ação que requer autorização da vigilância sanitária e pode possuir legislação específica, inclusive em nível Estadual ou Municipal.

Verifique a RDC 197/2017 e Legislações do seu Estado.

Os materiais mínimos necessários para a realização dessa campanha são:

  • 3 Mesas

  • 6 Cadeiras

  • Banner da empresa/serviço

  • 1 Resma de folha A4

  • Canetas para assinaturas

  • Carimbo do farmacêutico

  • 3 Caixas térmicas de poliuretano (1 para vacinas abertas e em uso, 1 para vacinas fechadas e em estoque e 1 para estoque de gelo reciclável) com termômetro (de mínima, máxima e momento)

  • Estoque de vacina

  • Caixa para descarte de pérfuro cortantes

  • Biombo

Os equipamentos e softwares necessários são:

  • 2 Notebooks com acesso a internet ou Tablets

  • 1 Impressora

  • Plataforma Clinicarx

Os insumos necessários podem variar de acordo com o tamanho da campanha a ser realizada, fique atendo a quantidade e a definição do projeto. Em linhas gerais serão necessários:

  • Álcool Swab ou algodão com álcool 70°

  • Gaze estéril

  • Algodão

  • Luvas

  • Álcool gel

  1. A quantidade de profissionais envolvidos na realização da campanha também pode variar, mas sugerimos que ao menos estejam presentes 2 técnicos/auxiliares e 1 farmacêutico.
  2. Prepare o local de vacinação isolando o acesso a uma área reservada utilizando o biombo.
  3. Cada profissional tem suas atividades específicas, ficando a cargo do técnico/auxiliar:
    1. Acolher o cliente e informar sobre o procedimento que será realizado
    2. Cadastrar o cliente na plataforma Clinicarx
    3. Registrar o máximo de informação sobre o estado de saúde do cliente
    4. Aplicar perguntas de segurança com atenção
    5. Registrar aplicação da vacina + orientações padrão ao cliente
    6. Encaminhar cliente ao atendimento farmacêutico.
  4. O farmacêutico é o responsável pela realização da vacinação durante a campanha. Após o direcionamento do cliente pelo técnico/auxiliar ele deve:
    1. Acolher o cliente e confirmar a vacina a ser realizada
    2. Orientar cliente a respeito dos cuidados e possíveis eventos adversos frequentes pós-vacinais, bem como a respeito do retorno ao serviço no caso de agravamento/complicações
    3. Agendar o reforço ou próximas doses necessárias para completar o esquema vacinal
    4. Carimbar e assinar a DSF
  5. Após instruir os pacientes, imprimir, carimbar, assinar e entregar os documentos, o paciente pode ser liberado.

Em ações de vacinação, recomendamos que seja utilizado um único lote de vacina, facilitando assim o processo de registro do procedimento.

Verifique junto à Vigilância Sanitária do seu município a necessidade de notificação/comunicação prévia à Autoridade Sanitária competente sobre a ação extramuros.

De um modo geral, algumas das informações a serem disponibilizadas são local/endereço da ação, data, responsável técnico pela ação, vacinas a serem administradas e público-alvo.

Não se esqueça de verificar se o seu termômetro está devidamente calibrado e de monitorar a temperatura das vacinas durante todo o período da ação. A temperatura à qual as vacinas são submetidas é um fator crítico para a segurança e qualidade da vacinação.